Na Mídia

30 fatos nos 30 primeiros dias do governo interino de Temer

Wilson Dias/Agência Brasil

NOVE MINUTOS DE LEITURA – O governo interino de Michel Temer (PMDB) completou neste domingo (12) trinta dias de atividade. O presidente interino da República do Brasil assumiu o cargo no dia 12 de maio, após o Senado aprovar por 55 votos a 22, o afastamento provisório da presidente Dilma Rousseff (PT) no processo de impeachment que agora está sendo julgado pelos senadores.

Esse primeiro mês do governo interino foi marcado por avanços, retrocessos e, principalmente, pressão da sociedade por mudanças. Confira a seguir um apanhado com as trinta principais manchetes sobre fatos do novo governo interino:

1 – Dilma é afastada pelo Senado que aprova processo de impeachment por 55 a 22 votos
Às 6h34 do dia 12 a abertura do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff foi aprovada no plenário do Senado Federal por 55 votos a favor e 22 contra, em uma sessão que durou mais de vinte horas. Com essa decisão, ela fica afastada do mandato por até 180 dias e o vice-presidente Michel assume a presidência.

2 – Sem mulheres, ministério de Temer é definido com 24 pastas
Anunciado no próprio dia 12, o ministério do governo de Michel Temer, tem seis partidos – PMDB, PP, PR, PRB, PSD e PTB – que fizeram parte da chapa anunciada pela presidente Dilma Rousseff na reforma ministerial de outubro de 2015, antes do desembarque de partidos como o PMDB e o PP. O número de ministérios caiu de 32 para 24.

3 – Em 1º discurso de Temer como presidente: “Manterei Bolsa Família e fortalecerei Lava Jato”
Em seu primeiro discurso como presidente interino, na tarde do dia 12, no Salão Leste do Palácio do Planalto, em Brasília, Michel Temer reforçou que manterá programas sociais anteriores, como o Bolsa Família, e que assegurará a continuidade da Operação Lava Jato. Temer falou horas depois de ter assumido as funções da presidente afastada, Dilma Rousseff.

4 – Nova marca do governo federal vira piada nas redes sociais
Antes mesmo de divulgar o novo ministério, o presidente interino, Michel Temer (PMDB), revelou, na tarde do dia 12, a nova logo de seu governo. Predominantemente azul, marca tem letreiro branco e o slogan “Ordem e Progresso”, lema da bandeira. A imagem foi compartilhada pela repórter Andréia Sadi, da Globo News, em seu perfil no Twitter.

5 – Chateado e abatido, Lula mostra preocupação após Dilma deixar o Planalto
Durante o discurso de Dilma Rousseff em frente ao Palácio do Planalto, após seu afastamento da presidência da República, o ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva, estava abatido. Demonstrando apatia, poucas vezes bateu palmas, ficando com o olhar distante e, segundo aliados, parecendo não estar ali. O ex-presidente fugiu do vermelho – cor do PT – que costumava adotar em atos simbólicos, vestindo camisa social azul e blazer cinza.

6 – Reduzir desemprego e trazer calma política e econômica são prioridades de Temer
Em entrevista exibida pela TV Globo na noite do dia 15, o presidente interino Michel Temer afirmou que não disputará a reeleição caso permaneça na Presidência em definitivo e espera reduzir o desemprego e trazer calma política e econômica ao país. Em sua primeira entrevista televisiva após assumir a Presidência de forma interina na semana passada devido à decisão do Senado de instaurar um processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff e afastá-la do cargo por até 180 dias.

7 – Michelzinho escolhe logo, anda de skate no Jaburu e rouba a cena dos Temer
Michelzinho, como é carinhosamente chamado o filho mais novo do presidente interino Michel Temer, está conseguindo mais destaque até do que sua mãe, Marcela. Depois se ser o assunto da manhã do dia 16 na internet, por causa da revelação de que foi sua a escolha da nova marca do governo, Michel Temer Junior voltou a ser assunto durante a tarde. O garoto de oito anos divertiu deputados que foram hoje ao Palácio do Jaburu, residência Temer que se transformou no principal ponto de encontro dos parlamentares favoráveis ao afastamento de Dilma Rousseff.

8 – Temer abre mão de mulher na Secretaria de Cultura e nomeia presidente do Comitê Rio 450
Na tarde do dia 18, o presidente interino Michel Temer, anunciou Marcelo Calero como secretário Nacional de Cultura. O diplomata de 33 anos ocupou em janeiro de 2015 a Secretaria de Cultura do município do Rio, após trabalhar como presidente do Comitê Rio450. A posse deve acontecer na segunda-feira. Temer não cedeu às pressões para voltar atrás em sua decisão de extinguir o Ministério da Cultura.

9 – Novo líder do Governo na Câmara é membro da “tropa de choque” de Eduardo Cunha
Réu por acusação de homicídio e membro da tropa de choque de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), André Moura (PSC-SE) foi confirmado como o líder do Governo interino de Michel Temer (PMDB) na Câmara dos Deputados. A chegada de André Moura ao cargo demonstra que a atual administração federal é refém de Cunha, o presidente afastado da Câmara que já emplacou três membros na gestão, e dos deputados que o peemedebista controla.

10 – Após insatisfação inicial, Temer age para tranquilizar empresários
O presidente interino, Michel Temer, para desfazer a insatisfação do empresariado, que se decepcionou com alguns sinais emitidos pelo novo governo, saiu pessoalmente a campo para acalmar os ânimos. Avisou lideranças empresariais que não aumentará impostos no curto prazo. Michel Temer fez questão falar diretamente a Paulo Skaf, presidente da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), que não há condições de encampar a volta da CPMF e justificou dizendo que não só o empresariado resiste à ideia como também a maioria do Congresso.

11 – Dilma “aposentada” vira piada no telejornal do “Saturday Night Live”
Na noite do dia 21, o humorístico americano “Saturday Night Live”, satirizou a presidente afastada Dilma Rousseff. Interpretada pela comediante Maya Rudolph, a “presidente” participou da esquete do telejornal, exibido no programa, para comentar seu impeachment. No quadro, o apresentador do jornal “Weekend Update” comenta que ela parece estar bastante feliz para quem sofreu um afastamento devido ao impeachment. Dilma responde que é sua “aposentadoria” e que agora vai curtir a vida, para então tomar um gole do drink.

12 – Em gravação de conversas, Jucá sugere pacto para deter Lava Jato
O ministro do Planejamento, Romero Jucá, sugeriu, em conversas gravadas, um pacto a Sérgio Machado, ex-presidente da Transpetro, subsidiária da Petrobras, para deter o avanço da Operação Lava Jato. O jornal Folha de S. Paulo teve acesso aos áudios entre Machado e Jucá e informa na manhã do dia 23, que a conversa aconteceu semanas antes da votação do impeachment na Câmara dos Deputados.

13 – Para Temer governo tem sido vítima de “agressões psicológicas”
No dia 24, o presidente em exercício Michel Temer afirmou, em reunião com líderes de partidos da base aliada no Palácio do Planalto, que seu governo tem sido vítima de “agressões psicológicas”. No encontro com os aliados, Temer anunciou medidas para tentar conter o crescimento dos gastos públicos e retomar o crescimento da economia brasileira.

14 – Mudança da meta fiscal é aprovada pelo Congresso que autoriza deficit de até R$ 170,5 bi
Na madrugada do dia 25, o Congresso aprovou em votação simbólica, a alteração da meta fiscal do governo para este ano, medida considerada como o primeiro grande teste do apoio ao presidente interino Michel Temer no Legislativo. A mudança vai para sanção presidencial. O governo interino havia pedido autorização do Congresso para mudar a meta e ampliar o rombo previsto nas contas públicas.

15 – STF homologa delação de Sérgio Machado, que implica Jucá e Renan
Teori Zavascki, ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), homologou no dia 25, a delação premiada do ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, que faz citações sobre o possível envolvimento da cúpula do PMDB no esquema de corrupção da Petrobras. Após a Folha revelar na segunda (23) que ele gravou conversas com peemedebistas para negociar a colaboração, a delação de Machado veio a público.

15 – Revista “Economist” diz que Impeachment foi “jeitinho” na Constituição brasileira
Na edição publicada no dia 27, a revista britânica “The Economist” afirma que o afastamento da presidente Dilma Rousseff foi um “jeitinho” dado na Constituição. Usando o termo em português, o artigo, entitulado “Way, José”, afirma que o “impeachment de Dilma Rousseff, uma presidente impopular que não foi pessoalmente acusada de malfeitos sérios, é um ‘jeitinho’ na Constituição”, diz o texto.

16 – Após áudio comprometedor, Dilma nega pagamento irregular a João Santana
Após a TV Globo divulgar novos áudios de conversas do ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) e o ex-presidente José Sarney, na quinta (26), a presidente afastada Dilma Rousseff divulgou nota negando pagamento irregular ao publicitário João Santana, responsável pela sua campanha em 2014. Machado afirma, em conversa com Sarney, que a delação premiada da Odebrecht atingiria Dilma, pois ela teria tratado diretamente com a construtora solicitando pagamento a Santana.

17 – Dilma Rousseff mentiu sobre encontros com Marcelo Odebrecht, aponta blog
A presidente afastada Dilma Rousseff, em entrevista ao jornal Folha de São Paulo no dia 28, foi questionada sobre a quantidade de encontros que manteve com Marcelo Odebrecht, presidente da maior empreiteira do país, preso desde 19 de junho de 2015 em Curitiba. “Eu não recebi nunca o Marcelo no [Palácio da] Alvorada”, afirmou Dilma. “No Planalto, eu não me lembro.”. Contudo, de acordo com os arquivos eletrônicos do Planalto consultados pelo blog do jornalista Josias de Souza, essa resposta não é verdadeira.

18 – Atual ministro da Transparência criticou Lava Jato em gravação
No dia 29, o programa “Fantástico”, da TV Globo, revelou em reportagem novos trechos de conversas gravadas pelo ex-senador e ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, com a participação do atual ministro da Transparência, Fiscalização e Controle, Fabiano Silveira, quando ele ainda era conselheiro do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Segundo Sérgio Machado, as gravações foram feitas em uma reunião na casa do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL).

19 – Após divulgação de gravações, ministro da Transparência entrega carta de demissão
O Ministro da Transparência, Fiscalização e Controle, Fabiano Silveira, entregou sua carta de demissão ao presidente interino Michel Temer, no início da noite do dia 30. Fabiano é o 2º ministro a perder o cargo no ministério da administração federal do PMDB em 18 dias. O primeiro foi Romero Jucá, que deixou a pasta do Planejamento na segunda passada (23). Fabiano e Jucá perderam seus cargos por terem aparecido em gravações produzidas por Sérgio Machado, ex-presidente da Transpetro e citado no escândalo da Lava Jato.

20 – Nova secretária de Política para Mulheres é contra aborto
No mesmo dia, a ex-deputada Fátima Pelaes foi apresentada pelo ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, como nova secretária de Políticas para Mulheres, órgão ligado à pasta. De acordo com matéria do G1, Moraes apresentou, além dela, o perito Celso Perioli para a Secretaria Nacional de Segurança Pública e a procuradora Flávia Piovesan para a Secretaria Nacional de Direitos Humanos, cuja nomeação já havia sido anunciada.

21 – Obras do Minha Casa, Minha Vida paradas por falta de verba serão retomadas
O presidente da Caixa Econômica Federal, Gilberto Occhi, disse no dia 1º, que quer retomar obras do Programa Minha Casa, Minha Vida que estão paralisadas por falta de recursos. Occhi tomou posse nesta quarta-feira como presidente do banco, em cerimônia no Palácio do Planalto. Segundo ele, na próxima semana, haverá uma reunião da Caixa com os ministérios do Planejamento e das Cidades para tratar do programa e de outras obras que estão paradas por falta de recursos.

22 – Padilha teme reversão de votos do impeachment e jornalista aponta motivos
Eliseu Padilha, ministro-chefe da Casa Civil, disse no dia 2, que o cenário relativo à votação, no Senado, do impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff só será definido nos momentos finais do julgamento. Nesse sentido, afirmou o ministro, o governo tem “muita preocupação” com o risco de alguns votos de senadores serem revertidos contrariamente à atual administração.

23 – Aécio Neves teve busca e apreensão pedida por Rodrigo Janot
A Folha de São Paulo informou no dia 6 que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, chegou a solicitar uma ação de busca e apreensão no Senado para coletar dados para o inquérito que apura a acusação de que o atual presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves (MG), atuou para “maquiar” dados da CPI dos Correios, em 2005, porém, a medida foi abortada depois que o Senado garantiu que daria acesso irrestrito aos documentos.

24 – Procurador-geral pede ao STF prisão de Renan, Jucá Sarney e Cunha
Rodrigo Janot, procurador-geral da República, pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) a prisão do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), do senador Romero Jucá (PMDB-RR) e do ex-presidente da República José Sarney (PMDB-AP). A informação é do jornal O Globo. Renan, Jucá e Sarney foram gravados em conversas conspirando contra a Operação Lava-Jato pelo ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado.

25 – R$ 8 milhões de blogs simpáticos ao PT são cortados pelo Planalto
O presidente em exercício Michel Temer bloqueou ao menos R$ 8 milhões dos R$ 11 milhões previstos para serem liberados até dezembro em publicidade de ministérios e estatais, como Petrobrás, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal, principal fonte de recursos de blogs e sites considerados aliados da presidente afastada Dilma Rousseff. As informações são do Estado de São Paulo.

26 – Preso em Curitiba o agente Newton Ishii, o Japonês da Federal
Foi preso no dia 7, em Curitiba, o agente federal Newton Ishii, conhecido como Japonês da Federal, famoso por aparecer em fotos ao lado de presos da Operação Lava Jato. Expedido pela Vara de Execução Penal Justiça Federal de Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, o mandado de prisão não foi esclarecido pela Polícia Federal. As informações são do Paranáportal. Não é a primeira vez que Ishii foi preso.

27 – Governo Temer tem apenas 11% de aprovação, aponta pesquisa
Pesquisa CNT/MDA divulgada no dia 8 indica que 11,3% dos brasileiros avaliam positivamente e 28% negativamente o governo interino do presidente Michel Temer. Para 30,2% dos entrevistados, o atual governo é regular, enquanto 30,5% dizem não saber opinar.

28 – Mulher de Cunha se torna ré na Lava Jato por lavagem de dinheiro
A jornalista Claudia Cruz, mulher do Presidente afastado da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ), passará a ser investigada na operação lava Jato. Haveria indícios de envolvimento dela com propina desviada da Petrobras. A denúncia contra Cláudia Cruz foi aceita pelo juiz federal Sérgio Moro. As informações são do jornal “Estado de São Paulo”.

29 – Dilma defende em entrevista, que “população seja consultada” sobre novas eleições
Em entrevista especial concedida à TV Brasil, nessa quinta (9), a presidente afastada Dilma Rousseff defendeu uma consulta popular, caso o Senado não decida pelo seu impedimento. Ao apresentador Luís Nassif, Dilma disse que é a população que tem que dizer se quer a continuidade de seu governo ou a realização de novas eleições. “O pacto que vinha desde a Constituição de 1988 foi rompido e não acredito que se recomponha esse pacto dentro de gabinete. Acredito que a população seja consultada”, disse.

30 – Ato contra Temer é esvaziado por centrais sindicais e ausência de Dilma
A presidente afastada Dilma Rousseff desistiu de participar do ato contra o governo interino de Michel Temer, nesta sexta (10) em São Paulo, para evitar associar sua imagem a discursos de oposição muito radicais. Uma greve geral foi cogitada pelo presidente do PT, Rui Falcão, em texto divulgado nesta semana pelo partido, mas as centrais sindicais descartaram a paralisação.

Comentários


To Top