Empresa corta fornecimento de gás encanado em condomínio.

Algumas famílias de um condomínio da cidade de Lins, estão sem poder usar o gás de cozinha, a empresa distribuidora que fornece o gás parou de fazer o abastecimento e deixou várias famílias sem o abastecimento. A empresa alegou final de contrato, outros falam que foi por causa de trotes com vazamentos de gás. Lembrando que ao perceberem algum tipo de vazamento de gás, entre em contato com uma empresa especializada nesse tipo de serviço urgentemente, pois os vazamentos são muito perigosos. O Adminstrador Net pode te ajudar a encontrar uma empresa mais próximo e com ótimos orçamentos.

As contas estão todas pagas. Mas, faz dias que a dona de casa Enedina Teixeira dos Santos não consegue cozinhar. O gás encanado do edifício onde mora acabou e para as refeições ela conta com a ajuda da nora. “Ela faz a comida e traz para mim, dá para uns quatro dias. Eu vou esquentando no micro-ondas”, conta.

No ano passado no mesmo condomínio foi assinado um contrato de fornecimento de gás com uma empresa, que alega que receberam várias ligações clandestinas indicando que o condomínio corria risco de vazamento de gás, o que levou à suspensão do fornecimento, a prefeitura de Lins contesta essa informação, nem ao menos visitaram o condomínio para fazerem o teste de estanqueidade.

De acordo com o gerente de habitação dos 288 apartamentos, 286 foram vistoriados, e todos estavam de acordo com as normas exigidas. “Tem dois apartamentos do bloco B, que eles não encontraram o morador e por isso deixaram como suspeito de vazamento, então em cima disso, a empresa coloca que a questão de segurança está abalada e que teria que retirar os equipamentos”, explica José Queiroz.

Em cada bloco se encontra um cilindro de gás de 190 kg, em seis blocos do condomínio e que ja estão vazios, se a situação continuar assim a partir da próxima semana todos os moradores já estão sem gás. A principal distribuidora de gás do país é a Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado ABEGÁS.

O coordenador da Defesa Civil de Lins diz que há uma lei estadual que proíbe a instalação de botijões em edifícios. ele teme que alguma explosão possa acontecer no condomínio. A defesa civil já registrou dois princípios de incêndio na área. “A gente sabe que 268 apartamentos, mais de 1500 pessoas entre crianças, jovens e adultos e a Defesa Civil está realmente preocupada, porque nesses casos o botijão tem que ficar do lado de fora e não dentro. E nesse momento o gás acabou em seis blocos, são mais de 90 apartamentos, se todo mundo resolver colocar um botijão e ocorrer uma explosão, num dá nem para dimensionar o que pode ocorrer”, ressalta Wagner Saoncella.

Alguns moradores confirma que existem moradores inadimplentes no local, mas criticam que o corte tenha sido geral. O grupo formou uma comissão para resolver o impasse com a distribuidora de gás. “Nós não temos autoridade para falar para o morador não colocar o botijão e nem para colocar”, destaca Janaína Rodrigues, membro da comissão.

O caso foi encaminhado ao ministério público, existem no condomínio 500 crianças e o caso precisa ser resolvido o mais rápido possível, há uma cláusula que estabelece que se um morador deixar de pagar a conta, o fornecimento de gás poderá ser cortado para todos os apartamentos, mesmo com as contas em dia. Para o Procon a cláusula é abusiva e ilegal.

Em nota, a empresa responsável pelo abastecimento informa que notificou o condomínio sobre a rescisão do contrato devido à falta de condições adequadas de fornecimento. O condomínio foi construído pelo Programa “Minha Casa, Minha Vida”.

Leave A Comment

Related Post

Como Modernizar um Elevador
Read More
Read More
Leis Trabalhistas
Read More
Read More